Procura-se amigos gays

por

O site Queer Sighted fez a publicação de um texto, entitulado Procura-se amigos gays. O texto trata, em partes, de um assunto que eu tenho identificado ser um dos mais atuais, pelo fato de vê-lo publicado em vários blogs e sites – a guetificação dos homossexuais. Eu achei interessante pois se trata de uma visão muito individual e de um acontecimento pessoal, mas que exemplifica essa questão – se prender a uma comunidade gay? Tive o trabalho de traduzir a página e você pode conferir a baixo.

Meu primeiro namorado veio quando eu tinha 18 anos, eu era super inexperiênte e não estava, certamente, pronto para namorar ninguém. Eu precisei de uns bons dois para ser o “namorador bandido” que eu acabei me tornando na faculdade.

Eu ficava com caras pelo menos 2 a 3 vezes na semana, e enquanto eu não necessariamente ia para casa com esses caras, eu definitivamente precisava das “lições de amídalas artificiais” que eu colecionava em bares durante meus primeiros dois anos de faculdade antes de eu me relacionar com algum tipo de namorado.

Após um ano de namoro, ele me traiu. Essa talvez seja parte das razões nas quais eu tenho assuntos tão verdadeiros com homens hoje em dia. Aparentemente com o coração partido e uma traição em uma idade tão precoce, são coisas ruins para o coração.

Ele era muitos anos mais velho que eu, e eu digo que por vários anos ele esteve por volta dos trinta. Eu percebo que a diferença de idade é, para muitas pessoas, difícil de entender, mas naquele momento funcionou e eu não iria deixar de me relacionar com ele baseado em sua idade.

 Por ser mais velho, ele sempre tinha conselhos para mim, que sendo alguém de 20 anos, eu nunca estive disposto a ouvi-los. Contudo, depois de ter feito o melhor que eu pude para esquecer tudo sobre ele, há sempre uma coisa que ele dizia que continua a mecher com minha cabeça. “Você vai precisar de um grupo de amigos gays eventualmente, Graig.”

A razão de ele ter me dito aquilo era porque naquele momento, acredito que eu tinha apenas 2 amigos gays. Eu tinha uma amiga na faculdade que era lésbica, e um amigo gay que sempre me acompanhava durante os intervalos. A maioria dos meus amigos de quando eu tinha 20 anos, e agora que tenho 27, tem sido lindas mulheres hétero.

E em outubro vou ao meu 40º casamento dos últimos quatro anos. Meu ex estava certo? Eventualmente, todas as minhas lindas amigas hétero se casariam, teriam bebês e iriam a reuniões de pais e professores na escola. Isso me tornaria irrelevante? Quando, em suas ocupadas vidas familiares elas iriam ter tempo para um “melhor amigo gay”?

Recentemente se tornou mais aparente que eu tenho necessidade de um grupo de amigos gays. Desde que me mudei para Nova Iorque, meu grupo de amigos ainda não atingiu a magnitude dos amigos que eu tinha em Atlanta. E ao fazer grandes amizades aqui, o padrão de lindas mulheres hétero tem se inserido em minha vida.

Mesmo essas mulheres sendo uma grande parte de minha vida, eu pergunto a mim mesmo se é a hora de encontrar um círculo de amigos gays com os quais eu me fraternizaria. Ou se isso não seria uma forma de reverter a discriminação. E, se um grande círculo de amigos gays é tão fácil de se ter, eu já não deveria tê-lo? Onde alguém encontra isso, afinal? Não é como anúncios no New York Times procurando por adições a grupos de amigos.

É tão errado assim eu querer ter alguns caras para ir comigo a bares gays? É tão errado assim que minhas amigas queiram ir a bares hétero e flertar com caras que irão dar atenção a elas? A resposta para essas perguntas é “não”, contudo, porque eu tenho que me comprometer?

E me vejo como um fracassado, em um bar hétero com nenhuma esperança, assistindo minhas amigas terem toda a atenção. E mesmo que elas sejam ótimas para mim, e me escoltarem a bares gay quando eu pedir, é realmente justo que 90% de minhas amigas sejam hétero, e mesmo assim vão a bares gay mais de 10% das vezes?

É muito importante refletirmos sobre esta questão e que não tenhamos uma postura tão errônea como a maioria da sociedade possui. Apesar de os homossexuais serem uma “minoria” ainda muito discriminada por conta da existência de padrões estereotipados, isso não quer dizer necessariamente que devamos nos alocar em guetos compostos por semelhantes. Muitos homossexuais preocupados com toda a questão do preconceito e da fobia exercidos sobre eles sabem da luta e das dificuldades que seus afins são acometidos ordinariamente. Lutas e dificuldades essas que, diga-se de passagem, cada vez mais adquire maior relevância. Aqueles com tal visão, entendem também que a auto-exclusão de um meio social convencional torna mais dificil e distante a transformação dos valores dessa sociedade.

Uma das maneiras de nos vermos aceitos e realmente inseridos de fato no meio social é estarmos nele, emitindo nossa forma de pensamento e criando naqueles, identificados pela orientação “padrão”, a cultura de diversidade, de que nada é igual e que o fato de alguns terem comportamentos e/ou características distintos dos convencionais, não significa que sejam “ETs”.

Criar guetos ou comunidades paralelas cria uma reação contrária àquela que tanto almeijamos. Torna ainda mais difícil o entendimento daquilo que ainda é tratado como diferente. A troca de informações só é possível em um contexto de semiose – diferentes culturas em um ambiente único, onde exista intercâmbio de idéias, valores, pensamentos. Esse, em minha opinião, é o início e o caminho menos difícil de atingirmos uma sociedade única, sem guetos, sem excluídos e sem diferentes.

@chrisrds | Início | O autor | Sobre o GE

13 Respostas to “Procura-se amigos gays”

  1. Thiago Arantes Says:

    Chris… Sempre leio os seus textos e adorei mesmo tudo o que tem escrito, meu grande amigo, acredito eu que vc esteja no curso errado… rsrs…. Forte Abraço

  2. Nayy Says:

    Concordo completamente com vc! Criar guetos é se conformar com a descriminação! Claro que é mais fácil conviver com aqueles que tem as mesmas “limitações” que vc, acho que isso nos faz sentir mais aceitos… mas acredito que isso nao é o suficiente, pq aceitação de verdade tem que ser por completo.
    E eu realmente espero que um dia todos pensem como eu, pq eu de coração e alma posso dizer que nao existe em meu ser nenhum tipo de preconceito/ignorância, contra nada!

    Mais uma vez parabéns pelo texto! Maravilhoso e bem escrito como sempre!!
    E viu só? O amigo aí em cima concorda comigo que talvez vc esteja no curso errado =P

    kisses & bites…
    love you my dirty boy *hugs*

  3. Nayy Says:

    Ahh esqueci de comentar outra coisa SUPER importante!!
    A M E I o novo layout =D Arrasouuuu
    Brian&JustinForever!!!!

    love u =*

  4. André Costa Says:

    Adorei o texto. Mostra seu talento e coragem para retratar as angústias que muitos de nós temos. Continue assim. Beijo grande !

  5. Pablo Says:

    Nossa!!

    Muito PerfeitO.
    xD

  6. Renato Says:

    Concordo plenamente com o texto.
    Podemos seguir várias vertentes ao lê-lo…temos a questão do envelhecer sem “amigos gays”, a de frequentar lugares heteros, a de se excluir por medo de preconceito e etc.
    Acredito que a maturidade e a experiência, conquistadas pelo tempo, trazem conceitos mais palpáveis. Cada um define e segue um caminho na vida, cultivar vários tipos de amigos é sempre a melhor pedida, se fosse um prato do menu, eu escolheria esse…mas como não é, devemos ter em mente que vamos envelhecer e que não necessariamente teremos um companheiro. Estar aberto à todas as situações, todos os lugares e todos os tipos de amigos é um grande passo para não ter esse tipo de questionamento! Ter amigos é sempre bom, eu tenho os meus e cada um é de uma cor pra eu não enjoar! rs

  7. Agnaldo Almeida Says:

    Cristiano,

    Você tem uma visão preconceituosa com relação aos guetos. Apesar de eles nascerem da exclusão dos diferentes da sociedade, em nenhum momento ele se caracteriza como auto-exclusão do indivíduo. O rapaz do texto mais se assemelha a um bichinho de estimação das mulheres héteros que qualquer outra coisa. Acaba com esse complexo de vira-lata.

    Os guetos são polos de resistência a dominação heteronormativa e são muito importantes como lugares em que se podemos demonstrar sentimentos mal-vistos pela sociedade e assumir uma identidade de forma positiva.

    Também vejo toda esse discussão como auto-excludente. Preterir um ambiente a outro é estupidez. Devemos nos socializar com todos os grupos e classes sociais.

    Abraços

    • Christopher Silva Says:

      Caro Agnaldo Almeida.
      Meu nome de batismo é realmente Christopher e nao o uso como apelido ou codinome, por achar bonitinho ou algo do tipo.
      Não tenho preconceitos com relação a nenhum grupo, classe ou gueto. Pessoas podem muito bem ter seus grupos de preferência, estarem em um grupo formado apenas por gays e, paralelo a isso, estarem inseridas em outros meios, como por exemplo, amigos de colégio, a galera do futebol e assim por diante. Concordo com você quanto a importância de minorias estabelecerem forças e serem resistêntes. A mensagem que eu tentei passar é de que devemos nos interagir com outras formas de pensamentos para podermos nos mostrar ao mundo. Se excluir e formar guetos de homossexuais, como muitos fazem, apenas retarda ainda mais o progresso.
      Talvez em uma segunda leitura do texto, você consiga entender o contexto aplicado à palavra “gueto”.

      Obrigado pela visita e, sinta-se a vontade para sempre comentar e posicionar suas opiniões e pensamentos. É dessa semióse que o mundo precisa para atingir um nível agradável de respeito.

  8. @AnaRiso Says:

    parabéns! Perfeito, também concordo plenamente, é a primeira vez que vejo alguém defender esse assunto e “uma sociedade unica, sem guetos, sem excluídos e sem diferentes” vai ficando cada vez mais distante enquanto vão criando guetos e sociedades epecíficas.

  9. Filipe Says:

    Esse texto é otimo
    mostra a realidade de pessoas gays
    e sua vida sendo gay
    mas eu não achava ter amigos gays necessariamente
    amigos de verdades naum deixariam o outro para tras
    mas esse texto é lindo
    adorei

  10. lu Says:

    estou namorando um gay e queria ter novos contatos com+entendidos.

  11. MATEUS RABELO Says:

    ESTOU ME ESTREGANDO NESTA VIDA AGORA E PROCURO AJUDA E NOVOS AMIGOS E RELACIONAMENTO, ESTAREI ESPERANDO QUEM DESEJAR O MESMO. ATÉ

  12. alehwalker Says:

    Reblogged this on When Sun Goes Down.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 151 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: